fechar
Acessibilidade (0)
A A A

Escolha o idioma

pt
oe_80_anos_745x206px_oe_2_14206977345821a5726b923.jpg
d5be7ba33e7e6727c38d5f64aabf5905.jpg
f94424294702c78017e30b0c79e2043b.jpg
Região Centro
Região Sul
Madeira
Açores

A Ordem

Luminotecnia

Comissão de Especialização
Vitor Manuel Nunes Gonçalves Vajão - Coordenador
Silvino Augusto da Conceição Maio - Coordenador-adjunto
José Manuel Monteiro da Silva Cardoso
Henrique Luis Barata Mota
António Manuel Gouveia de Lacerda Moreira
Raul Serafim Barros Silva


(em atualizações)
Plano de Atividades (Triénio 2013-2016)
  • Divulgação -  aumentar a notoriedade desta especialização aproveitando os meios disponíveis na OE nomeadamente a sua revista e o seu site e utilizar também os seus membros;
  • Promoção - quer da especialização quer da iluminação enquanto arte e técnica com especial incidência na divulgação das boas práticas sobre as novas tecnologias. A alteração significativa de circunstâncias tecnológicas conduz quase sempre no início a uma utilização inadequada da mesma que pode provocar o desinteresse dos técnicos com o respetivo atraso na progressão do seu desenvolvimento;
  • Formação - realizar mais cursos de formação à semelhança do que foi feito no passado, recorrendo à colaboração do CPI e Ordem dos Arquitetos;
  • Cooperação - estreitar mais os laços que temos vindo a desenvolver com as instituições citadas no ponto anterior, bem como outras, designadamente AGEFE e ADENE;
  • Legislação - além do contributo que demos na elaboração do RSECE, pretendemos iniciar um processo de certificação das profissões relacionadas com a iluminação em colaboração com as instituições acima referidas.


Comissão Executiva toma posse e divulga programa de acção (Triénio 2010-2013)

Assim, a actual Comissão Executiva irá desenvolver a sua actividade em cinco áreas. A saber: divulgação da especialização, formação profissional, cooperação com outras organizações (como a Ordem dos Arquitectos), legislação (nomeadamente na certificação de edifícios) e, por último, por ordem mas não por importância, caracterização de actos de engenharia.

Esta comunicação insere-se na primeira área – divulgação da especialização. Para isso entende-se que um Especialista em Luminotecnia é um profissional com formação em Engenharia Electrotécnica que, no âmbito da sua formação e desenvolvimento da actividade profissional, tenha realizado acções relevantes na área da luminotecnia – entende-se por luminotecnia a ciência e a arte de utilização da luz para iluminar os espaços e as respectivas actividades desenvolvidas nos mesmos.

A candidatura à outorga do título de Especialista deve ser efectuada nos termos fixados no Regulamento das Especializações.
Os critérios específicos de avaliação incidirão na formação e experiência prática na área da especialização, incluindo o número de anos de experiência profissional – quantos mais anos maior a valoração (mínimo 10 anos); reconhecimento, pelos pares, da actividade desenvolvida nas componentes de ensino, concepção, execução ou actividades relacionadas; trabalhos apresentados (projectos, comunicações, estudos etc.); formação académica complementar ou experiência docente; e formação profissional.

Uma especialização só pode manter-se se o número de profissionais for suficientemente elevado para a alimentar e se os critérios de admissão forem calibrados para reconhecer e diferenciar o efectivo mérito profissional do Especialista. Teremos de encontrar a solução de compromisso entre estes dois parâmetros opostos. Incentivamos, por isso, os colegas que trabalham neste domínio a candidatar-se a esta especialização. A informação sobre o processo de outorga do título de Especialista encontra-se disponível no Portal.

Parceiros Institucionais