fechar
Acessibilidade (0)
A A A

Escolha o idioma

pt
c98507ba3ff229c1d3787116fe6fcab1.jpg
poster_ehe2014_final_12260316855301e9757b026.jpg

EHE2014 – International Conference on Electromagnetic Fields, Health and Environment

Porto

24 a 26 de abril de 2014

Local

Porto
A APDEE - Associação Portuguesa para a Promoção e Desenvolvimento da Engenharia Eletrotécnica, está a organizar a "5th International Conference on Electromagnetic Fields, Health and Environment - EHE 2014", que se vai  realizar no Porto, Portugal, de 24 a 26 de abril de 2014.

Esta Conferência Internacional  é um forum mundial para uma audiência multidisciplinar, que inclui investigadores, médicos, engenheiros, ecologistas, consultores, autoridades públicas, media, para apresentação, revisão e discussão sobre os novos desenvolvimentos e tendências na análise, simulação e aplicação de campos eletromagnéticos (EMFs) com particular importância para a saúde humana.

Serão apresentadas comunicações científicas por especialistas oriundos de 24 Países, nas áreas da Modelação, Medida e Simulação de Campos Eletromagnéticos (EMFs) não ionizantes; Influência de EMFs nos seres vivos; Segurança Ambiental, Políticas e Standards Internacionais.

O corpo humano não funciona somente na base de reações celulares biológicas e bioquímicas, mas também na base de campos eletromagnéticos. Neste contexto os seres humanos são na verdade "seres eletromagnéticos". Sobre campos eletromagnéticos, deve ser feita uma diferenciação entre os campos de baixa frequência (ELF), causados pela eletricidade doméstica e industrial, e os de radiofrequência (RF) devidos fundamentalmente às tecnologias de telecomunicação móvel, Wi-Fi, WLAN, etc.

Já está estabelecido que os campos eletromagnéticos no espectro das frequências não ionizantes,  podem ter efeitos benéficos e são utilizados na medicina clínica, quer no diagnóstico quer no tratamento. Referem-se por exemplo, os benefícios da eletroterapia, os efeitos clínicos de correntes contínuas (eletrólise) e de impulsos elétricos no músculo cardíaco (pacemaker, desfibrilhadores), a reparação de tecidos e fraturas ósseas, utilizando campos magnéticos.

Mas também, e porque correntes elétricas de muito pequena intensidade fazem parte da fisiologia humana, ao nível da comunicação entre células, pode ser legitimamante levantada a questão de possíveis efeitos disruptivos no corpo humano e eventuais consequências que poderão ter para a saúde. Efetivamente os níveis dos campos eletromagnéticos no ambiente, como consequência do nosso tipo de vida moderna aumentam de dia para dia, e daí a exposição pública aos campos eletromagnéticos estar também a aumentar. Observamos assim uma preocupação pública crescente sobre os efeitos potenciais que os campos eletromagnéticos podem ter na saúde pública. Os resultados da investigação são inconclusivos, não há unanimidade de opiniões e o debate continua.

A Ordem dos Engenheiros apoia esta Conferência, beneficiando os seus Membros de um desconto de 30% sobre os custos de inscrição indicados na página web da Conferência.

Programa da Conferência.

Parceiros Institucionais