fechar
Acessibilidade (0)
A A A

Escolha o idioma

pt
e2314643bb72a8d6efb0d9d894abbfe0.jpg

Ordem dos Engenheiros integra Observatório da Mata de Leiria


Av. António Augusto de Aguiar,
n.º 3D, 1069-030 Lisboa secretariageral@oep.pt

Comunicado


Ordem dos Engenheiros integra Observatório da Mata de Leiria


1/2018
22 de janeiro de 2018
Ordem dos Engenheiros integra Observatório da Mata de Leiria
 


  • Assinatura do Protocolo de constituição do Observatório da Mata de Leiria
  • 22 de janeiro, 16h10, Auditório da Resinagem, Praça Guilherme Stephens, Marinha Grande

 

A Ordem dos Engenheiros foi convidada pelo Governo português a integrar o Observatório da Mata de Leiria (também designado por Observatório Local do Pinhal do Rei). 

O protocolo de criação deste Observatório é assinado esta tarde, pelas 16h15, no Auditório da Resinagem da Marinha Grande, numa sessão presidida pelo primeiro-ministro António Costa.

O Bastonário da Ordem dos Engenheiros, Carlos Mineiro Aires, representará a Ordem na formalização deste compromisso, como sinal claro do contributo que, em termos de conhecimento e elevada competência técnica e científica, a engenharia portuguesa pode e deve aportar a esta área das florestas, com vista à recuperação de um património florestal de relevante importância ecológica e também económica.

A sessão é desenvolvida no âmbito da apresentação da Estratégia de Recuperação do Pinhal de Leiria, que inicia às 15h00 com uma visita do primeiro-ministro à Mata Nacional.

O Observatório da Mata de Leiria tem como principais objetivos:
a. Avaliar o Plano de Recuperação da Mata Nacional de Leiria (MNL); 
b. Elaborar propostas de intervenção na área ardida na MNL e angariar financiamentos, se necessários, para as concretizar em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I.P., (ICNF, I. P.);
c. Apresentar propostas de ordenamento para usos, atividades e/ou de serviços que podem ser praticados na MNL, conferindo-lhes coerência com o "Plano de Recuperação da MNL";
d. Emitir parecer sobre os relatórios de progresso do "Plano de Recuperação da MNL";
e. Mobilizar instituições, organismos, empresas e particulares para apoiarem as atividades de recuperação da MNL, em especial as dedicadas a ações de rearborização de áreas ardidas, reabilitação do vale do Ribeiro de Moel e controlo de invasoras lenhosas, em total coordenação com o ICNF, I. P.;
f. Efetuar sessões públicas sobre o âmbito, ações e faseamento do "Plano de Recuperação da MNL;
g. Proceder à atualização, avaliação e divulgação regulares dos resultados dos trabalhos efetuados e propor as ações que entender adequadas para a prossecução das suas atribuições.


Lisboa, 22 de janeiro de 2018


Parceiros Institucionais