fechar
Acessibilidade (0)
A A A

Escolha o idioma

pt
d5be7ba33e7e6727c38d5f64aabf5905.jpg
f94424294702c78017e30b0c79e2043b.jpg
Região Centro
Região Sul
Madeira
Açores

A Ordem

Segurança no Trabalho da Construção

Comissão de Especialização (mandato de 2022/2025)
Arnaldo Vitor Castro Beleza  Reis - Coordenador
Anabela Ramos Canelas - Coordenadora Adjunta
Paulo Jorge dos Anjos Almeida
Alexandra Margarida Pinheiro Rodrigues
Gonçalo Filipe Amaral Gerardo Pratas


Apresentação

O Programa para o Triénio de 2019/2022, da Comissão Executiva da Especialização de Segurança no Trabalho da Construção prevê um conjunto de ações que consideramos importantes para o contributo da Ordem dos Engenheiros na sociedade, destacando-se: o contributo para a regulação do perfil de quem exerce  a função de Coordenação de Segurança na Construção; o contributo para revisão do Regulamento de Segurança e Saúde no Trabalho em Estaleiros da Construção; a realização de sessões técnicas e seminários que abordam temas da segurança e saúde na construção; a divulgação da especialização e a atração de novos membros para atribuição do Título de Engenheiro Especialista.

A segurança no trabalho da construção é uma área de grande responsabilidade para a Ordem dos Engenheiros, porque dos seus profissionais e dos projetos de engenharia desenvolvidos antes e durante a obra, dependem as condições de segurança de trabalhadores e terceiros, pela melhor ou pior integração dos princípios gerais de prevenção.


Procedimentos para a Atribuição do Título de Engenheiro Especialista

A candidatura à outorga do Título de "Especialista de Segurança no Trabalho da Construção” deve ser efetuada nos termos fixados no Regulamento das Especializações. O candidato deverá ser membro efetivo da Ordem dos Engenheiros, com o nível de qualificação sénior, ter mais de 10 anos de exercício profissional na área da Especialização, e apresentar requerimento dirigido ao Bastonário, em impresso próprio para o efeito.

Os critérios de avaliação do candidato resultarão da apreciação dos seguintes aspetos devidamente ponderados:

a) valor profissional, científico e/ou técnico dos elementos curriculares, incluindo os trabalhos presentados, designadamente tendo em conta a contribuição para a competitividade dos respetivos setores económicos nacionais; 
b) conhecimentos, grau de competência profissional; 
c) relevância da atividade profissional (atendendo ao nível de complexidade); 
d) extensão da experiência profissional, relevante para a Especialização, (incluindo inscrição em organizações científicas/ou técnicas e outras, nacionais ou estrangeiras, no domínio da sua Especialização, e participação nas realizações das mesmas); 
e) formação complementar de índole académica ou profissional; 
f) experiência como formador e produção editorial e mobilização de pares;


Notícias

  • Setor da Construção conta com novo instrumento para gestão dos riscos profissionais »»»



Eventos organizados ou participados pela Comissão de Especialização em Segurança no Trabalho da Construção da Ordem dos Engenheiros (CESTC)



Parceiros Institucionais