Ordem dos Engenheiroshttps://www.ordemengenheiros.ptptWebinar “Auditorias pré-demolição – Construir a desconstrução”https://www.ordemengenheiros.pt/pt/atualidade/entrevistas/webinar-auditorias-pre-demolicao-construir-a-desconstrucao/

No âmbito do projeto CLOSER – Close to Resources Recovery, que visa a elaboração e implementação de um guia português para auditorias de pré-demolição e/ou reabilitação de edifícios, e dando continuidade à atividade do projeto, o Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e o Instituto dos Mercados Públicos do Imobiliário e da Construção (IMPIC) irão realizar no dia 21 de junho, pelas 14h30, o webinar "Auditorias pré-demolição – Construir a desconstrução”.

O webinar inclui uma sessão de apresentações nos temas "Projeto CLOSER”; "Nova Legislação de RCD”; "Level(s) – Sustentabilidade nos edifícios”, seguida de uma mesa redonda subordinada ao tema "Aumentar a conscientização para a demolição responsável dos edifícios”.

Face à convergência dos interesses do projeto CLOSER com o compromisso da Ordem dos Engenheiros para a transição para a Economia Circular em geral e, em particular, no que respeita à Eficiência dos Recursos, o Bastonário desta Associação Profissional intervirá como palestrante nesta sessão.

A participação é livre, mas encontra-se sujeita a inscrição »»»
]]>
Webinar “Auditorias pré-demolição – Construir a desconstrução”2021-06-11
10 de junho | Dia de Portugalhttps://www.ordemengenheiros.pt/pt/atualidade/noticias/10-de-junho-dia-de-portugal-1/

No Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, a Ordem dos Engenheiros celebra a Engenharia e os Engenheiros Portugueses, cujos feitos, em território nacional ou na diáspora, têm, ao longo de muitas décadas, amplificado o nome e o prestígio de Portugal.
]]>
10 de junho | Dia de Portugal2021-06-10
Colaboração em Estudo - Competências de Liderança dos Engenheiros Civis e relação com a Inteligência Artificialhttps://www.ordemengenheiros.pt/pt/atualidade/noticias/colaboracao-em-estudo-competencias-de-lideranca-dos-engenheiros-civis-e-relacao-com-a-inteligencia-artificial/No âmbito de uma dissertação de mestrado em Gestão de Empresas no ISCTE- Instituto Universitário de Lisboa, que visa avaliar as competências de liderança de um Engenheiro Civil, e quais delas se relacionam com a Inteligência Artificial, é colocada aos engenheiros civis a oportunidade de participação num questionário, com vista à compilação de dados que permita a avaliação referida.

De acordo com o proponente, a informação recolhida é confidencial e anónima, e os dados serão exclusivamente analisados no âmbito do estudo em causa. 

Qualquer esclarecimento adicional poderá ser solicitado junto dos responsáveis do estudo, através dos seguintes endereços eletrónicos: nelson.ramalho@iscte-iul.pt ou sssga@iscte-iul.pt

Acesso ao questionário »»»
]]>
Colaboração em Estudo - Competências de Liderança dos Engenheiros Civis e relação com a Inteligência Artificial2021-06-09
Região Sul promove Concurso Towards Zero https://www.ordemengenheiros.pt/pt/atualidade/noticias/regiao-sul-promove-concurso-towards-zero/




O Conselho Diretivo da Região Sul da Ordem dos Engenheiros promove o Prémio de Eficiência Energética, designado "TOWARDS ZERO”, com o objetivo de melhorar a eficiência energética e hídrica do edificado da Ordem dos Engenheiros (OE), em Lisboa.
 
Esta iniciativa, que surge no âmbito do "Ano OE para a Eficiência Energética – Economia Circular”, decretado pelo Conselho Diretivo Nacional da Ordem dos Engenheiros, visa a promoção de um concurso, no qual a Região Sul da OE possibilita a todos os recém-licenciados em Engenharia e estudantes de mestrado integrado a participação ativa na melhoria da eficiência energética e hídrica da sua Associação Profissional, ao mesmo tempo que contribui para o enriquecimento da experiência profissional e curricular dos participantes.

Podem concorrer equipas de 1 a 3 alunos de mestrado em Engenharia ou licenciados com mestrado nos últimos 5 anos [de 2017 até 2021 inclusive], membros da Região Sul da Ordem dos Engenheiros (OERS). 

O concurso será realizado em três etapas – a inscrição no mesmo, até 16 de julho de 2021, seleção de 10 equipas (máximo) a concurso e  desenvolvimento do estudo de maximização da Eficiência Energética e Hídrica, a apresentar até 30 de setembro de 2021.


O valor Total do prémio será de 10.500€:
1º prémio: 4.000 €
2º prémio: 2.000 €
3º prémio: 1.000 €
Restantes equipas: 500€


Consulte o site do Concurso e o Regulamento aqui


Informações complementares, podem ser enviadas pelo email oers@sul.oep.pt | 213 132 666


]]>
Região Sul promove Concurso Towards Zero 2021-06-07
Delegação de Faro apoia a realização do Módulo III do Curso Livre de Eurocódigoshttps://www.ordemengenheiros.pt/pt/atualidade/noticias/delegacao-de-faro-apoia-a-realizacao-do-modulo-iii-do-curso-livre-de-eurocodigos/

A Delegação Distrital de Faro volta a apoiar a formação em Eurocódigos Estruturais, organizada pelo Departamento de Engenharia Civil do Instituto Superior de Engenharia da Universidade do Algarve. O Módulo III do Curso Livre de Eurocódigos "Avaliação e Reforço de Estruturas de betão Armado”, decorrerá online, via Zoom, de 17 a 28 de junho.


No seguimento das duas ações informativas organizadas pela Delegação Distrital de Faro e apresentadas pelo Professor João Estêvão (ISE-UALg) sobre a aplicação do Eurocódigo 8 a edifícios existentes, a Delegação Distrital de Faro anuncia que irá comparticipar, parcialmente, 10 inscrições de Membros Efetivos na próxima formação relacionada com Eurocódigos, relativas ao Módulo III sobre "Avaliação e Reforço de Estruturas de betão Armado”.


A formação será realizada pelo Departamento de Engenharia Civil da Universidade do Algarve (DEC/UAlg) de 17 a 28 de junho de 2021, em horário pós-laboral, online, via Zoom.

 

O curso tem um desconto de 10% para Membros da Ordem dos Engenheiros.

 

A Delegação Distrital de Faro proporcionará aos 10 primeiros Membros Efetivos inscritos, uma comparticipação no valor de 57,5€ por formando, sendo que o custo imputável aos Membros será de 100€, em vez dos 157,5€.

 

O critério para a atribuição da comparticipação será a ordem de inscrição, devendo esta ser realizada, impreterivelmente, através da Delegação Distrital de Faro, pelo email: faro@sul.oep.pt. A delegação informará os Membros logo que as 10 vagas sejam preenchidas.

 

Será necessário enviar os seguintes elementos:


1. Nome do participante

2. Nº de Membro

3. Email

4. Telemóvel

5. Dados para faturação:

 - Nome;

 - Nº contribuinte;

 - Morada e código postal.

 

HORÁRIO 

Em formato online, via Zoom, as sessões decorrerão nos dias 17, 18, 24, 25 e 28 de junho,  das 18h00 às 21h00, perfazendo um total de 15 horas.


FORMADORES 

Prof. João Estêvão

Prof. Roberto Laranja 

 

MÓDULO III: AVALIAÇÃO E REFORÇO DE ESTRUTURAS DE BETÃO ARMADO

Este módulo será dividido em duas partes: uma referente às situações de projeto sísmicas, designadamente com base na NP EN 1998-3:2017 (serão utilizados programas de análise estática não linear como suporte à elaboração de um relatório de vulnerabilidade sísmica de um edifício de betão armado, assim como serão apresentadas as técnicas de reforço previstas na NP EN 1998-3:2017, designadamente com recurso a soluções de reforço com betão armado, elementos de aço, e materiais compósitos); A outra, sobre as técnicas de reforço de estruturas de betão armado para as situações de projetos persistentes. 

 

O custo da participação já inclui IVA à taxa legal em vigor. Inclui também um Certificado de Participação em formato digital (obrigatório frequentar pelo menos 75% das sessões). 

 

Para informações adicionais, consulte o flyer de divulgação em anexo.

]]>
Delegação de Faro apoia a realização do Módulo III do Curso Livre de Eurocódigos2021-06-07
Webinar legrand "SOLUÇÕES DE CARREGAMENTO PARA VEÍCULOS ELÉCTRICOS"https://www.ordemengenheiros.pt/pt/atualidade/noticias/webinar-legrand-solucoes-de-carregamento-para-veiculos-electricos/


Inscrição gratuita mas obrigatória. Pode fazê-la AQUI.
]]>
Webinar legrand "SOLUÇÕES DE CARREGAMENTO PARA VEÍCULOS ELÉCTRICOS"2021-06-07
Horizonte Europa para Empresashttps://www.ordemengenheiros.pt/pt/atualidade/noticias/horizonte-europa-para-empresas/No âmbito do Protocolo de colaboração existente entre o Conselho Diretivo da Região Sul e o Instituto Superior Técnico, através do Técnico+, a Região Sul divulga o curso "Horizonte Europa para Empresas", que irá decorrer de 5 a 8 de julho de 2021.

Os Membros da Ordem dos Engenheiros beneficiam de um desconto de 10% no valor da inscrição deste curso, ao abrigo do referido Protocolo. As inscrições estarão abertas até 21 de junho de 2021.

A coordenação deste curso será da responsabilidade de Luís M. Correia e a formação estará a cargo de Marta Candeias, Filipa Borrego e Ricardo Migueis

As aulas decorrerão 2ª e 5ªfeira, entre as 9h30 e as 17h30, com a duração de 24 horas. 

Saiba como preparar propostas de projetos para o Horizonte Europa, com elevado índice de sucesso, neste curso, que surge numa perspetiva de partilha de conhecimento e de reforço da ligação com as empresas, tendo como formadores professores e gestores de programas, com uma grande experiência acumulada de construção e elaboração de proposta, gestão, participação e avaliação de projetos em consórcio com empresas nos programas da Comissão Europeia.


Consulte aqui para mais informações e inscrições.

]]>
Horizonte Europa para Empresas2021-06-06
Dia Mundial do Ambiente 2021https://www.ordemengenheiros.pt/pt/atualidade/noticias/dia-mundial-do-ambiente-2021/

Hoje, dia 5 de junho, celebra-se o Dia Mundial do Ambiente.

A Ordem dos Engenheiros assinala esta efeméride recordando a importância vital do trabalho do Engenheiro do Ambiente na salvaguarda do nosso futuro

É hora de tomar consciência. De repensar a nossa relação com o meio ambiente.
É hora de agir. É a hora da Engenharia ao serviço do Planeta.

Juntos Somos Ambiente,
Juntos Somos Engenharia!
]]>
Dia Mundial do Ambiente 20212021-06-05
Novas ações de formação contínua a desenvolver a partir de junhohttps://www.ordemengenheiros.pt/pt/atualidade/noticias/novas-acoes-de-formacao-continua-a-desenvolver-a-partir-de-junho-2/


No âmbito do Sistema de Acreditação da Formação Contínua da OE, o OE+AcCEdE, está previsto o início de nove novas ações de formação contínua para o mês de junho.

O OE+AcCEdE, criado em 2014, tem por objetivo garantir a qualidade da oferta formativa ao longo da vida destinada aos engenheiros.

Ações de formação previstas para o mês de junho »»»

Mais informações em »»»
]]>
Novas ações de formação contínua a desenvolver a partir de junho2021-06-02
Legislação Explicada | Maio | Decreto-lei n.º 30/2021https://www.ordemengenheiros.pt/pt/atualidade/noticias/legislacao-explicada-maio-decreto-lei-n-30-2021/


Saiba o que está em causa com a publicação do Decreto-lei n.º 30/2021, de 07 de maio, que procede à regulamentação da Lei n.º 54/2015, de 22 de junho - que estabelece as bases do regime jurídico da revelação e do aproveitamento dos recursos geológicos existentes no território nacional -, no que respeita aos depósitos minerais, aqui »»»

Este conteúdo é exclusivo para membros da Ordem dos Engenheiros.

]]>
Legislação Explicada | Maio | Decreto-lei n.º 30/20212021-06-02
Olhar os Desafios da Engenharia XXIhttps://www.ordemengenheiros.pt/pt/atualidade/entrevistas/olhar-os-desafios-da-engenharia-xxi/


Os desafios que se colocam à Engenharia neste século XXI foram o tema de um debate digital promovido pela Ordem dos Engenheiros (OE) e pelo jornal Dinheiro Vivo, transmitido em direto no website do jornal e na página da OE no Facebook.

Os protagonistas foram Carlos Mineiro Aires, Bastonário da OE, Francisco Ferreira, Presidente da Zero, Miguel Castro Neto, Subdiretor da Nova Information Management School, e Rita Moura, Membro da Comissão Executiva da Plataforma Tecnológica Portuguesa de Construção/Cluster AEC. A moderação esteve a cargo da Diretora do Dinheiro Vivo, Joana Petiz.

]]>
Olhar os Desafios da Engenharia XXI2021-06-02
Formações ADENE em junho com descontos para membros da Ordem dos Engenheiroshttps://www.ordemengenheiros.pt/pt/atualidade/noticias/formacoes-adene-em-junho-com-descontos-para-membros-da-ordem-dos-engenheiros/

A Academia ADENE encontra-se a promover, com o apoio institucional da Ordem dos Engenheiros (OE), novos cursos para o mês de junho.

A parceria institucional entre a Ordem dos Engenheiros e a ADENE, que remonta a 2013, permite que os membros desta Associação Profissional continuem, durante o ano de 2021, dedicado pela OE à Eficiência Energética, a usufruir de 5% de desconto no valor da inscrição nos cursos promovidos por aquela Academia.

A Academia ADENE mantém a aposta na consolidação da sua oferta formativa, nas suas áreas de atuação, com destaque para a eficiência energética nos edifícios e na indústria, a certificação energética dos edifícios, as energias renováveis, a mobilidade eficiente e a eficiência hídrica. 

A ADENE aposta na formação e-learning, adaptando-se ao contexto vivido atualmente e a seguir a tendência da digitalização.

• 15 de junho - Curso de Gestão de Energia na Indústria (CGEI) -  O Curso de  Gestão de Energia na Indústria (CGEI),  visa permitir aos formandos a aquisição e atualização de competências neste domínio, para a realização de diagnósticos energéticos, e consequente redução dos consumos e fatura energética em instalações industriais. O curso realiza-se em formato e-learning assíncrono, podendo os formandos aceder aos conteúdos online e realizar a formação ao seu próprio ritmo. 

Os membros da OE dispõem de 5% de desconto no valor da inscrição.
   
Para mais informações contacte os serviços da Academia ADENE através do email formar@adene.pt.

]]>
Formações ADENE em junho com descontos para membros da Ordem dos Engenheiros2021-06-02
Nova edição do programa de Trainees StartME da Mota-Engilhttps://www.ordemengenheiros.pt/pt/atualidade/noticias/nova-edicao-do-programa-de-trainees-startme-da-mota-engil/
Estão abertas as candidaturas para a 8.ª edição do Programa de Trainees StartMe - Conecting Global Talent do Grupo Mota-Engil. 

O Programa, que terá a duração de um ano, tem mais de 200 vagas disponíveis e irá incorporar todos os jovens nas operações globais que o grupo desenvolve em países como Portugal, Irlanda, Peru, Brasil, México, Costa do Marfim, Uganda, Ruanda, Angola, Moçambique ou Malawi, através de um modelo que prevê experiência no terreno, formação em contexto de sala de aula e um programa de mentoring com profissionais seniores do grupo.

O desafio é lançado aos recém-licenciados nas áreas da Engenharia, que queiram explorar os seus talentos e embarcar numa oportunidade única de aprendizagem, intercâmbio de experiências e vivência num ambiente multicultural.



As candidaturas estão em curso até julho, no site de carreiras do Grupo aqui.

A Ordem dos Engenheiros apoia esta iniciativa desde 2009, data da criação do Programa.
]]>
Nova edição do programa de Trainees StartME da Mota-Engil2021-06-02
Juntos descobrimos a Engenharia: O livro digital infantil lançado pela Ordem dos Engenheiros para assinalar o Dia da Criançahttps://www.ordemengenheiros.pt/pt/atualidade/noticias/juntos-descobrimos-a-engenharia-o-livro-digital-infantil-lancado-pela-ordem-dos-engenheiros-para-assinalar-o-dia-da-crianca/

"Juntos descobrimos a Engenharia" é o livro digital infantil que a Ordem dos Engenheiros lançou em 2020 para assinalar o Dia Mundial da Criança.
 
Leonardo Da Vinci e Mary Jackson, dois nomes emblemáticos da história da Engenharia, são os protagonistas desta publicação, que inclui muitas atividades, jogos e enigmas que levarão os mais novos a descobrir tudo o que precisam para serem verdadeiros engenheiros.
 
Num Dia Mundial da Criança ainda diferente, marcado pelo afastamento de muitas famílias, este é o contributo da Ordem dos Engenheiros para a sociedade e, de forma muito particular, para os seus membros - avós, pais e demais familiares -, ajudando-os na missão de explicar às crianças, de forma lúdica, o que é ser Engenheiro.
 
Descarregar eBook "Juntos Descobrimos Engenharia" »»»


]]>
Juntos descobrimos a Engenharia: O livro digital infantil lançado pela Ordem dos Engenheiros para assinalar o Dia da Criança2021-06-01
PRR e Regulação Profissionalhttps://www.ordemengenheiros.pt/pt/atualidade/artigos-de-opiniao/prr-e-regulacao-profissional/


PRR E REGULAÇÃO PROFISSIONAL – O debate em torno da existência e do papel das ordens profissionais é recorrente e aviva-se sempre que atuações isoladas por parte de alguma destas são mediatizadas, pelos melhores ou piores motivos, sendo que a sua proliferação também não ajuda ao necessário esclarecimento público. 

Recorde-se que as ordens profissionais foram criadas prioritariamente com vista à defesa dos direitos fundamentais dos cidadãos e à salvaguarda do interesse público, o que é atingido pela autorregulação de profissões cujo exercício exige independência. A sua existência não se destina, pois, a servir os membros. Assim, o seu papel é reconhecido quando a sua atividade e voz são úteis ao poder político, mas quando as suas posições são incómodas e denunciam situações que atentam contra o bem-estar e direitos dos cidadãos, questionando atuações institucionais, a reação é de rejeição quanto à razão da sua existência e poderes atribuídos. A lei que enquadra e permite criar novas ordens também é clara e contém uma norma imperativa que impede as ordens profissionais de exercerem ou de participarem em atividades de natureza sindical ou que se relacionem com a regulação das relações económicas ou laborais dos seus membros. Estas atividades, se exercidas, são por isso passíveis de punição. O facto de serem os próprios regulados a pagarem estes serviços, através das quotas mensais, bem como o facto de os juízos disciplinares serem assegurados pelos pares são dois dos argumentos das vozes discordantes, muito embora, no que respeita ao reconhecimento do mérito, o entendimento já não vá no mesmo sentido e, por norma, nunca falam do que o Estado deixa de gastar. 

ENQUADRAMENTO LEGAL – Hoje, existem em Portugal 20 ordens profissionais, tendo as duas últimas sido criadas em 2019, a Ordem dos Fisioterapeutas e a Ordem dos Assistentes Sociais, pelo que, desconhecendo a representatividade destas duas, as 18 restantes representam cerca de 430 mil profissionais, cuja dimensão associativa individual varia entre as poucas centenas e mais de oito dezenas de milhares de membros. De acordo com a Lei 2/2013, que estabelece o regime jurídico de criação, organização e funcionamento das associações públicas profissionais, a criação de uma ordem é de carácter excecional, podendo apenas ter lugar quando visar a tutela de um interesse público de especial relevo que o Estado não possa assegurar diretamente, for adequada, necessária e proporcional para tutelar os bens jurídicos a proteger e respeitar apenas a profissões sujeitas aos requisitos aí previstos. Pelos vistos, já foram identificaram 20 casos em que o Estado não o pode fazer, ou em que as pressões políticas avançaram nesse sentido. Por outro lado, a lei estipula que a cada profissão regulada corresponda apenas uma única associação pública profissional, podendo esta representar mais do que uma profissão, desde que tenham uma base comum de natureza técnica ou científica, exigência legal que, pelo menos uma vez, já foi violada. 

A existência das ordens advém de formas de organização históricas e com provas dadas no reconhecimento da qualificação profissional e como garante de confiança pública, modelo a que o próprio Estado e Tribunais recorrem para suporte e aconselhamento. O facto de algumas delas imporem alegadas barreiras na admissão, no acesso à profissão e a sua atuação não ser transparente em termos de proporcionalidade e também no que ao exercício de competências disciplinares diz respeito, contribui para a fundamentação da necessidade de alterações legislativas, embora sejam mais as vozes do que as nozes, porque, por exemplo, no caso da Ordem dos Engenheiros a questão nem se coloca. 

PRÉVIA APROVAÇÃO DE REFORMAS – Entretanto, como não há almoços grátis, soubemos que os milhões da bazooka associada ao PRR estão condicionados à prévia aprovação de reformas e investimentos que constam de 1738 páginas, entretanto descobertas, e das quais constam os detalhes dos compromissos do Governo. As ordens profissionais não escaparam às medidas remetidas para Bruxelas, o que não constitui novidade para ninguém, pois já tinham sido impostas pela troika, constam do relatório da OCDE e foram plasmadas pela Autoridade da Concorrência (AdC), para além de constituírem imposições da UE. A própria Lei das Associações Profissionais, datada de 2013, já previa que a revisão do enquadramento legal das ordens profissionais tivesse tido lugar em 2018, pelo que já existe um atraso de três anos. Desta vez, porém, as propostas avançam com a intenção de serem criados órgãos novos, maioritariamente compostos por membros externos à respetiva associação pública profissional, com competências, designadamente, sobre matérias disciplinares, acesso à profissão, em especial a determinação das regras de estágio, e reconhecimento de habilitações e competências obtidas no estrangeiro. Ou seja, perspetiva-se a intervenção vinculativa de quem não sabe e nem conhece, restando saber se os cargos terão de ser remunerados através das quotas das associações profissionais. Esta visão liberal visa reduzir drasticamente o poder regulatório das ordens profissionais, em alguns casos com razão, noutros por pura ignorância, uma vez que, por exemplo, a AdC, ignorando o risco associado a tal imprudência, vai ao ponto de sugerir ao Governo que qualquer cidadão, mesmo sem qualificação académica adequada, possa exercer atos de engenharia. 

Felizmente que as ordens da área da Saúde não foram abrangidas por esta deriva liberal, porque poderíamos vir a correr sérios riscos nas idas ao médico ou nas mais pequenas cirurgias. Como diz o povo, "não vá o sapateiro além da chinela…” Uma vez que a regulação pressupõe que estejam exaustivamente identificados os atos regulados, certamente que esse também não poderá deixar de ser um dos desígnios da revisão legislativa, sob pena de estarmos a discutir que matéria preenche o vácuo. 

Assim, só o resultado final poderá levar-nos a perceber os reais objetivos da intenção reformista, esperando que, pelo menos desta vez, o Parlamento tenha em conta que as profissões são cada vez mais tecnológicas e estão em permanente evolução, pelo que já não faz sentido criar modelos estáticos de regulação com eficácia que é efémera, porque o constante progresso obriga a respostas imediatas e adaptáveis aos constantes desafios da acelerada época de transição em que vamos viver, o que só as ordens profissionais conseguem antecipar e compreender, devendo ser-lhes dada a faculdade de assegurarem essa gestão. 

Consulte o artigo na sua versão original »»»
]]>
PRR e Regulação Profissional2021-06-01