fechar
Acessibilidade (0)
A A A

Escolha o idioma

pt
facebook_capa_20465371485c33723d1d196.jpg
d5be7ba33e7e6727c38d5f64aabf5905.jpg
f94424294702c78017e30b0c79e2043b.jpg
Região Centro
Região Sul
Madeira
Açores

A Ordem

Mensagem do Bastonário

Caras e caros Colegas, 

No passado dia 26 de março iniciei o meu segundo e último mandato de Bastonário da Ordem dos Engenheiros (OE) com o mesmo ânimo, disponibilidade e espírito de servir uma causa pública, da mesma forma como sempre o tenho feito ao longo da vida.

A vitória eleitoral resultou certamente do trabalho conjunto que tem vindo a ser feito, mas, sobretudo, do amplo apoio que recebemos, pelo que muito agradeço o voto e a confiança dos membros desta Ordem.

Saúdo os novos membros eleitos, mas também abraço de forma agradecida todos os que, por diversas razões, não puderam voltar a integrar a nossa lista e que cessaram funções. 

Tal como no anterior mandato, a equipa que, a nível nacional e regional agora nos acompanha, reforça, no seu conjunto, uma solução de futuro, válida e sólida para os interesses dos engenheiros e para a nossa profissão, pelo que a governação da Ordem, a nível nacional e a nível regional, será certamente marcada pela coesão e identidade de princípios que estiveram subjacentes a este projeto comum.

A experiência associativa e o conhecimento que detemos da nossa Ordem, pautados pela postura de permanente proximidade e contacto com os nossos membros, permitem termos novas ideias e pontos de vista para o que deverá ser mais este percurso focado na profissão, nos jovens e no futuro da Engenharia.

Continuarei, assim, a ser o Bastonário de todas as especialidades de Engenharia, recordando as que ainda não se podem agrupar num colégio adequado.

Representamos uma profissão única, de confiança pública, direcionada para garantir o bem-estar, a melhoria de condições de vida e a segurança de pessoas e bens.

Pautamos a nossa atuação por exigentes princípios de qualificação, rigor, ética, deontologia e, também, pela partilha e cooperação.

Somos um elemento chave na economia, na criação de riqueza e na qualidade e segurança dos serviços públicos.

De uma forma natural, sempre interiorizámos a solidariedade intergeracional: o respeito e o reconhecimento e a passagem do saber e da experiência entre os mais velhos e os mais novos.

Somos uma profissão inclusiva e não discriminatória, desde sempre sem exclusão de raça ou género, esta bem refletida na composição da nossa Lista, com a perfeita noção do caráter global da nossa atuação e da importância da entreajuda e da partilha do conhecimento.

Lidero uma Ordem que se orgulha do passado, da obra e do engenho dos engenheiros portugueses nos mais diversos pontos do mundo e que é respeitada, porque sabe dar-se ao respeito.

Uma Ordem que se orgulha do contributo da Engenharia nacional para o patamar de modernidade e de excelência que o nosso País atingiu, que hoje apresenta indicadores de desenvolvimento aos níveis dos melhores e com reconhecidas capacidades nas áreas do conhecimento.

Uma Ordem moderna e atenta às alterações digitais, mas ciente de que as alterações climáticas, a economia circular, a eficiência material, hídrica e energética, bem como os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, têm de constar da nossa agenda quotidiana e que as novas exigências de adaptação e as decorrentes soluções tecnológicas nos conferem um novo papel e enormes desafios. 

Uma Ordem que tem orgulho nos sólidos laços que existem dentro da comunidade lusófona, mas também da proximidade que hoje temos às nossas congéneres europeias e que assume que a cooperação internacional é hoje uma imperativa exigência na nossa missão.

Como no passado, iremos continuar a defender os desígnios estatutários da Ordem dos Engenheiros, os interesses profissionais dos nossos membros, garantindo o serviço público que asseguramos, delegado pelo Estado, ou seja, a regulação da profissão, e assegurando o nosso histórico prestígio.

Estamos cientes que a integração de novos membros e a entrada de jovens na nossa vida associativa é crucial para o nosso futuro e para uma maior dinâmica da OE, pela modernidade e pelas novas ideias e visões que poderão aportar, sendo nossa obrigação assegurar essa transição.

Como Bastonário, compete-me liderar e assegurar que a nossa Ordem vai continuar a servir o País e a percorrer o caminho de prestígio que tem merecido o respeito e a confiança da nossa Sociedade.

Com a habitual estima e contando com o Vosso apoio, 
Carlos Mineiro Aires


Parceiros Institucionais